Testemunhos

Escrito por Missão Cristã Mundial

"... a graça de participarem da assistência aos santos" - 2 Coríntios 8.4

A MCM realiza congressos em todo o Brasil ao longo dos últimos 15 anos para conscientizar a igreja de seu papel como corpo de Cristo. Missões é amar incondicionalmente, é repartir o pouco que tem, desejando ver a milagrosa multiplicação do Senhor para alimentar os famintos.

E é isso que temos tido o privilégio de observar nos últimos anos. Gostaríamos de compartilhar alguns relatos, com o singelo desejo de te despertar a fazer algo, por menor que seja, pela causa nobre que é a de dar pão a quem tem fome, água a quem tem sede e luz para os que estão em trevas.

Aquelas sandálias

Numa manhã de domingo banhada pelo sol do nordeste, a igreja estava em uma reunião de cunho missionário. O templo não havia alcançado sua capacidade máxima, mas a presença de Deus certamente havia se apropriado por completo daquele lugar e dos corações sedentos.

Ao término do sermão, o qual o pastor relatou sobre os horrores do tráfico de crianças na Ásia, ele lança um despretensioso, mas emocionado apelo de oferta para resgatar meninas traficadas e em situação de risco.

Em meio ao silêncio, se ouvia apenas uns sussurros daqueles que antes do culto não conheciam essa realidade e agora estavam comovidos e desejosos de fazer algo. Nesse ambiente, a pastora da igreja foi cutucada por uma adolescente pobre, de roupas puídas, que outrora havia sido moradora das ruas perigosas de uma metrópole turística.

Dizia ela: “Quando estava nas ruas sempre sonhei em ter uma sandália para calçar, mas, hoje tenho uma e descobri que não preciso tanto delas quanto as meninas do Nepal precisam ser resgatadas, será que posso ofertá-las para ajudar a salvar uma menina pelo menos?”.

Aquelas simplórias e humildes sandálias comoveram todos naquele lugar, fazendo com que cada um dos participantes fosse impelido a dar aquilo que lhes custava a fim de salvar vidas.


Uma cela escura

Nunca julgue um livro pela capa, aprendi isso ao visitar uma penitenciária de segurança máxima. Após o culto maravilhoso com os detentos no qual compartilhamos como adentrar no Reino de Deus e sobre a responsabilidade de trabalhar para a expansão deste, ouvimos um grito no fundo de uma cela escura dizendo: “Missionário vem aqui!”.

Temi, mas, aproximei-me para ver quem falara comigo, era um homem marcado pela vida do crime, seu aspecto exterior era assustador, não olhara em meus olhos, estava cabisbaixo. Estendendo ele a mão para mim num gesto amistoso e cordial, manifestando o desejo de me cumprimentar, me surpreendi, havia na mão dois reais, ele me disse: “É tudo o que tenho, gostaria de ofertar para obra missionária!”.

Que linda ação, o prisioneiro, pagando a fiança para libertar aqueles que estão em cadeias espirituais. Todos ficaram emocionados. Aquela oferta estava nos ensinando que Deus usa quem ele quer, da maneira que ele quer para cumprir o plano de salvar vidas.


Com as minhas mãos

Olá, posso lhe fazer uma pergunta ? Sabes me dizer qual a utilidade de um pano de prato? Imagino que esteja pensado: Tolice, a resposta é óbvia, servem para enxugar pratos. Lamento lhe decepcioná-lo, mas, esses são especiais demais.

Conheci uma senhora no sul do país que amava missões, a qual sempre sonhara em ir ao campo missionário ganhar almas para Cristo. Mas, ao longo dos anos foi impedida por várias razões, filhos, saúde, etc.

Agora em sua “tenra idade” seu coração foi avivado após um culto de missões: “Irei às nações, tocarei vidas nos confins da Terra sem sair da minha casa”.

Começou então, a produzir panos de prato com versículos e vendê-los em sua comunidade e cidade. Nos últimos anos vem ofertando toda a renda para salvar vidas.

Que linda ação. Não importa a sua idade, condição financeira, lugar onde moras. O que você poderia fazer para participar este ano da Oferta de Resgate? Guarde isso: Missões não se faz só com dinheiro, se faz com o coração.

Conte-nos o seu testemunho

Compartilhe conosco o seu testemunho acerca da Oferta de Resgate, nós queremos saber! Entre em contato através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Categoria: